Projeto

Programa de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica

Com a finalidade de complementar o acolhimento que já ocorre na cidade, o ITI, através deste programa, oferece atendimento psicológico e social gratuito às mulheres, adolescentes e crianças vítimas de violência, seja física, psicológica, sexual ou qualquer forma que cause danos ou ameace a integridade do indivíduo. Busca suprir ou complementar a assistência necessária que as vítimas de violência na cidade precisam.

Atualmente, a violência contra a mulher é vista como um problema de responsabilidade da sociedade como um todo, e não de ordem privada ou individual. Com a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006 – que coíbe e previne a violência doméstica e familiar contra a mulher), muitos avanços foram conquistados, porém, os números de casos de violência doméstica no Brasil ainda são alarmantes. Desta forma, o ITI torna-se mais uma ferramenta de auxílio e acolhimento a estas vítimas, colaborando com órgãos públicos no atendimento e cuidados.

Com o intuito de fazer valer as normas do Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990 – dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente), o ITI também realiza o atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica, dando assistência e atendimento conforme as necessidades de cada caso.

Os principais objetivos compreendem:

  • Fomentar o aumento de mão de obra profissional e capacitada;
  • Formação integrada e alinhada com valores sociais e de cidadania;
  • Geração de trabalho e renda;
  • Formação profissional;
  • Vivências relacionadas ao mundo do trabalho;
  • Agregar novos valores à formação profissional;
  • Adquirir ou aprimorar conhecimentos;
  • Diminuir a exposição a riscos sociais e pessoais.

Tem como público-alvo mulheres e crianças vítimas de violência doméstica, seja física, psicológica ou sexual.

Histórico:

2017 – O projeto beneficiou a população da cidade de Itapetininga, em São Paulo. Foram atendidas nove mulheres e três crianças. As famílias foram acompanhadas e assistidas pela equipe multidisciplinar e hoje têm seus direitos assegurados.

Parceiros:

Conselho Tutelar de Itapetininga
CRAS de Itapetininga
Delegacia da Mulher de Itapetininga

Profissionais envolvidos:

Psicólogos
Assistentes Sociais
Assessores Jurídicos